Por que somos de cores diferentes?

Já que é para estudar “Da cabeça aos dedos dos pés”, o conhecimento sobre o corpo humano tem que ser tanto sobre como somos por dentro quanto como somos por fora. Por isso, após um período em que os alunos estudaram ossos e órgãos, a professora Raphaela Haberbosh e a assistente Luísa Martins convidaram a assessora de comunicação, Taís Evanolli, para conversar com a turma Kinder Afternoon sobre as diferenças, através de uma palestra sobre as várias cores da pele.

Taís é formada em Jornalismo e em Teatro e, nesse último curso, se aprofundou na disciplina intitulada “Práticas de Inclusão”. Sendo assim, conversou com os alunos sobre o respeito às diferenças. “Apesar de serem pequenos, eles observam isso de uma forma muito clara. Então, em um projeto como esse, é fundamental apresentar que somos muito parecidos por dentro, mas muito diferentes por fora. E eles captaram a mensagem do jeitinho deles e, o mais legal, sem julgamento. Esse é o primeiro passo para o respeito às diferenças”, afirma Taís. A assessora, porém, não visitou a turma sozinha. De modo a ampliar o conceito de respeito às diferenças, os alunos Bernardo Duarte e Theo Neves, do 1º ano, Luiz Felipe Ouchi e Maria Procópio, do 5º ano, Noêmia Ciribelli e João Pedro Reis, do 8º ano, e Bernardo Machado, do 9º ano, contribuíram com a palestra, ajudando Taís a ilustrar as diferenças. Juntos, conversaram com os alunos de Raphaela sobre a evolução do ser humano ao meio, a quantidade de melanina que temos em nosso corpo e sobre como o nosso país é diversificado. Ao final, cada aluno da Kinder Afternoon desenhou os convidados, de acordo com suas características. “Eu desenhei o Luiz Felipe, porque ele tem o mesmo nome do meu irmão. Mas eles são muito diferentes. O Luiz Felipe que foi na minha sala tem os olhos puxados, porque a família dele veio lá do Japão”, conta a aluna Laura Drummond.